Por Inês Costal e Patrícia Conceição

O site do ObservaCovid – o projeto Análise de Modelos e Estratégias de Vigilância em Saúde da Pandemia da Covid-19 (2020-2022) – está no ar. Por meio de sete subprojetos e com uma ampla rede de pesquisadores e pesquisadoras, a iniciativa tem analisado modelos, estratégias e ações de vigilância em saúde em diferentes níveis de atenção. O espaço reúne os boletins do ObservaCovid, que desde agosto de 2020 divulgam dados sobre o desenvolvimento do projeto de pesquisa e seus resultados. As publicações podem ser recebidas por e-mail por meio do campo de cadastro disponível no site.

Acesse aqui o novo site do ObservaCovid.

As quatro edições do boletim já publicadas tratam das dimensões, políticas e práticas da Vigilância em Saúde e do controle da Covid-19; as distintas respostas à Covid-19 entre os países no mundo; informações sobre a avaliação da gestão de cuidados a pacientes de Covid-19 atendidos no Instituto Couto Maia, em Salvador; e os impactos e desafios para a Vigilância Sanitária diante da pandemia de Covid-19 no Brasil. Clique aqui e cadastre-se para receber os boletins.

O ObservaCovid é referenciado na concepção ampliada de Vigilância em Saúde construída no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA) nas últimas três décadas. Inclui estudos sobre estratégias de enfrentamento da Covid-19 em diversos países, buscando identificar as “lições aprendidas” com a pandemia, além de uma série de pesquisas que recortam aspectos específicos da problemática gerada pela expansão e enfrentamento da pandemia no Brasil: reorganização da atenção primária à saúde e da assistência hospitalar, estudos específicos sobre as práticas de vigilância sanitária de serviços de saúde e sobre o impacto da pandemia na saúde dos trabalhadores de saúde, e investigações sobre o grau de adesão da população às medidas de prevenção e controle e sobre as estratégias de comunicação social que têm sido acionadas através das redes e plataformas digitais.

O projeto de pesquisa foi apresentado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Conta com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Ministério da Saúde (MS), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação.