Com informações do Ministério da Saúde (texto editado)

No ano passado, um texto acompanhado de áudio em tom de alarde começou a circular em aplicativos de mensagens, gerando apreensão em quem o recebia. “Nova gripe que está chegando no Brasil promete matar muita gente”. Era sobre o vírus AH2N3. Tratava-se de uma fake news. Logo, o Ministério da Saúde esclareceu a questão e reforçou a necessidade de checar a informação antes de compartilhar. “Não existe o subtipo “H2N3” de vírus da influenza no Brasil. Essa é uma informação inverídica que está circulando nas mídias sociais”, alertou a pasta.

As vacinas são um dos principais alvos de fake news. E o medo gerado por conta dessas notícias falsas pode ter graves consequências, como o retorno de doenças já eliminadas e morte de crianças por doenças evitáveis pela vacinação.

Para combater as fake news sobre saúde, o Ministério da Saúde abriu mais um canal de comunicação com a população. Qualquer cidadão brasileiro poderá adicionar, gratuitamente, no celular, o WhatsApp do Ministério da Saúde — (61) 99289-4640.

Ele serve exclusivamente para verificar com os profissionais de saúde nas áreas técnicas da Pasta se um texto ou imagem que circula nas redes sociais é verdadeiro ou falso. Ou seja, é um canal exclusivo e oficial para desmascarar as notícias falsas e certificar as verdadeiras.

A partir dos recebimentos das mensagens, o conteúdo será apurado junto às áreas técnicas do órgão e devolvido ao cidadão com um carimbo que informa se é fake news ou não. Dessa maneira, será possível compartilhar a informação de forma segura. As notícias analisadas pela equipe também estarão disponíveis no Portal Saúde no endereço saude.gov.br/fakenews e nos perfis do Ministério da Saúde nas redes sociais.

8 passos para identificar fake news:

• Avalie a fonte, o site, o autor do conteúdo
Muitos sites publicadores de fake news têm nomes parecidos com endereços de sites de notícias. Portanto, avalie o endereço e verifique se o site é confiável, missão. Também veja se outros conteúdos do site também são duvidosos.

• Avalie a estrutura do texto
Site que divulgam fake news costumam apresentar erros de português, de formatação, letras em caixa alta e uso exagerado de pontuação.

• Preste atenção na data da publicação
Veja se a notícia ainda é relevante e está atualizada.

• Leia mais que só o título e o subtítulo
Leia a notícia até o fim. Muitas vezes, o título e o subtítulo não condizem com o texto.

• Pesquise em outros sites de conteúdo
Duvide se você receber uma notícia bombástica que não esteja em outros sites de notícia.

• Veja se não se trata de site de piadas
Alguns sites de humor usam da ironia para fazer piada.

• Só compartilhe após checar se a informação é correta
Não compartilhe conteúdo por impulso. Você é responsável pelo o que você compartilha.

• Use o Saúde Sem Fake News
Mande sua uma mensagem duvidosa sobre saúde ao novo canal do Ministério da Saúde.