Foto: Marina Silva/CORREIO

O jornal Correio de domingo (5) trouxe como matéria de capa as principais pesquisas desenvolvidas pela UFBA nos últimos anos. Dos 10 estudos citados, dois foram liderados pelo Instituto de Saúde Coletiva (ISC/UFBA).

O primeiro mostra um menor rico de transmissão do zika vírus para pessoas que adquiriram imunidade após infecção pelo vírus da dengue. Para chegar a esse resultado, os pesquisadores acompanharam 1.453 moradores do bairro de Pau da Lima, em Salvador, entre os meses de março e outubro de 2015. Os dados apontam que, nessa localidade, houve redução de contágio para zika em até 25% entre aqueles que desenvolveram anticorpos após uma infecção anterior de dengue.

O outro estudo citado na matéria busca identificar os riscos para a leptospirose em Salvador. Os bairros escolhidos para a pesquisa foram Marechal Rondon, Alto do Cabrito, Rio Sena e Nova Constituinte, todos localizados no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Os pesquisadores procuram saber o nível de exposição dessas comunidades e como os moradores enxergam a própria vulnerabilidade.

A matéria do Correio também lista os maiores pesquisadores segundo o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Entre eles, os professores do ISC Jairnilson Silva Paim e Maurício Lima Barreto.

Para ler a reportagem completa, acesse:

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/da-descoberta-do-zika-virus-a-nanoparticulas-em-fungos-conheca-a-balburdia-da-ufba/