O Projeto Desenvolvimento Infantil na Comunidade (DICa) do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA) foi criado no final do ano de 2015 a partir das necessidades surgidas com a epidemia de Zika Vírus e com as repercussões neurológicas dessa infecção no desenvolvimento das crianças brasileiras. Nesse cenário, esforços para o controle da epidemia do ZIKV foram necessários, bem como o delineamento de propostas para lidar com os efeitos decorrentes da microcefalia, atualmente chamada de Síndrome Congênita do ZIKV, e garantir as melhores oportunidades de desenvolvimento, inserção social e qualidade de vida para as crianças afetadas.

Dessa forma, o Projeto DICa propõe um conjunto de estratégias para responder a algumas necessidades relacionadas às crianças com alteração neurológica congênita associada à infecção intrauterina por ZIKV e suas famílias. Todas as estratégias do Projeto DICa são contextualizadas para as necessidades da Atenção Básica à Saúde e do território, pois que a proximidade dos serviços de atenção básica com as famílias e inserção no contexto comunitário apresentam um potencial terapêutico para a promoção do desenvolvimento dessas crianças na comunidade.

O Projeto DICa propõe atuação em três componentes:

I – Projeto de pesquisa “Efeitos das manifestações neurológicas congênitas associadas ao Zika vírus sobre o desenvolvimento infantil: um estudo de coorte prospectiva no contexto da Atenção Básica, em Salvador-BA”;
II – Intervenção interdisciplinar para estimulação do desenvolvimento na comunidade (com a díade cuidador-criança) e para o apoio psicológico de familiares (apenas cuidadores) no território da Atenção Básica;
III – Estratégias de formação com ênfase no Desenvolvimento Infantil na Comunidade, que envolvem a promoção do Programa Comunitário de Formação e de um Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva.