“Tenho 44 anos de vida profissional como médica e nunca vi uma situação assim tão grave”. A declaração é da sanitarista Lia Giraldo (CPqAM/Fiocruz) sobre o vazamento de petróleo que atinge o litoral nordestino desde o fim de agosto. Ela é a e entrevistada do mês de dezembro do Observatório de Análise Política em Saúde (OAPS).

Na publicação, a médica também faz críticas e alertas para o cenário brasileiro de agrotóxicos e arboviroses, além de destacar a relação do movimento sindical com a pauta saúde e ambiente.

Para ler a entrevista na íntegra, acesse aqui o OAPS.

Boa leitura!