Turma concluintes da Especialização em Saúde Coletiva, sob a forma de Residência, na área de concentração em Planejamento e Gestão em Saúde.

“É uma oportunidade única de aprendizagem, crescimento e amadurecimento profissional”. A declaração é da psicóloga Jéssica Soares da Silva, umas das 18 concluintes da Especialização em Saúde Coletiva, sob a forma de Residência, na área de concentração em Planejamento e Gestão em Saúde. A atividade de encerramento da terceira turma de residentes aconteceu na última sexta-feira (6), no auditório do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA.

Iniciado em 2016, pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do ISC, o curso tem o objetivo de formar especialistas em Planejamento e Gestão para atuar em todos os níveis do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A residência é uma etapa de muito significado para os profissionais que fazem esse percurso. Trata-se de uma imersão nos serviços de saúde, produzindo análises, apoiando a formulação e implementação de políticas, estimulando o planejamento participativo e inovações em diferentes níveis”, destaca a professora Isabela Cardoso, diretora do ISC/UFBA.

O programa é voltado para profissionais das áreas de Enfermagem, Odontologia, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Psicologia e Saúde Coletiva (bacharéis). Durante dois anos de formação, eles participam de práticas de planejamento nos serviços e sistemas de saúde da capital e do interior do Estado.

“São serviços de saúde da rede municipal e estadual, em todos os níveis de complexidade do SUS, a exemplo das unidades de saúde, Distritos Sanitários, hospitais, coordenadorias em geral e também na regulação”, explica a professora Catharina Matos, coordenadora do programa de residência do Instituto.

Os estudantes também recebem uma bolsa de estudos fixa durante todo o período de formação.

Teoria e prática

Sanitarista Andréa Laura Moreira, à frente, participa de equipe de planejamento na Sesab

A busca pelo amadurecimento profissional foi o que motivou Andréa Laura Andrade Moreira, graduada em Saúde Coletiva pelo ISC, a ingressar na residência de Planejamento e Gestão em Saúde. A certeza veio depois de trabalhar no interior da Bahia, na área de gestão. “Eu não imaginava que seria algo tão complexo e que envolvesse tantas questões políticas locais. Em determinadas situações, eu percebi que não tinha maturidade profissional suficiente”, lembra.

No primeiro ano de residência, Andréa atuou no Distrito Sanitário de Boca do Rio, em Salvador. A partir daí, acumulou mais experiência em passagens pela Diretoria de Vigilâncias em Saúde e pela Assessoria de Planejamento de Gestão da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). “Por fim, escolhi trabalhar na Secretaria Municipal de Saúde de Quijingue-BA, na área da Atenção Básica de Saúde, para cumprir o estágio eletivo”.

A trajetória da residência, segundo a sanitarista, permitiu desenvolver trabalhos relevantes para a comunidade através das parcerias com profissionais de diversas áreas e do diálogo direto com a universidade. “Saio diferente, mais madura e capaz”, avalia.

Para a professora Catharina Matos, o destaque está, justamente, nessa cooperação estabelecida entre o ensino e os serviços de saúde.  “Esse contato permite uma abertura do mercado de trabalho para os nossos residentes. Muitos, inclusive, já foram absorvidos pelo próprio serviço por onde passaram”, acrescenta.

O interesse da psicóloga Jéssica Soares da Silva pela residência começou cedo, desde 2014, quando concluiu a graduação. “Além de ser uma lacuna da minha formação, ter atuado na área de assistência, anteriormente, ajudou a compreender melhor a importância dos processos de gestão e planejamento”, observa. Mas o ingresso só aconteceu em 2018, quando o processo de seleção unificada, realizado na Bahia através da Escola Estadual de Saúde Pública, passou a oferecer vagas para psicólogos no edital.

A espera foi longa e a dedicação também. Durante a residência, a psicóloga chegou a atuar na Coordenação de Ações Básicas do Distrito Sanitário do Centro Histórico, na Diretoria Estratégica de Planejamento e Gestão, além da Diretoria de Regulação, Controle e Avaliação da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador.

Residentes participam de atividades do Conselho Distrital de Saúde, no Distrito Sanitário do Centro Histórico, em Salvador

“A partir de aulas com grandes professores e pesquisadores do ISC, tive a oportunidade de aliar o conhecimento teórico à vivência em espaços de gestão de uma secretaria do porte do município de Salvador, com tomadas de decisões, conflitos e tensionamentos que permeiam o processo de trabalho nesses locais”, destaca.

Aprovada em 1º lugar na última seleção de mestrado do ISC/UFBA, o objetivo agora é aprofundar o conhecimento no campo da saúde coletiva. “A residência foi fundamental para essa conquista”, comemora.

Atualmente, outras duas turmas de residentes, com 36 alunos no total, seguem em andamento no Instituto de Saúde Coletiva. Para a diretora Isabela Cardoso, o sucesso do programa é resultado do esforço entre todos os envolvidos. “Eu parabenizo os concluintes e a equipe de professores do ISC, que conduz com muita competência essa formação”.