Nesta quinta-feira, 25 de julho, é comemorado o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. A data foi instituída por lei, no Brasil, em 2 de junho de 2014. Tereza de Benguela foi líder de um quilombo no Mato Grosso, no século 18, e comandou por décadas uma luta de resistência contra a escravidão. Para marcar a data, eventos especiais serão realizados em Salvador até sábado. Confira a programação:

4º Seminário Biopolíticas e Mulheres Negras

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) promove o “4º Seminário Biopolíticas e Mulheres Negras – Práticas e Experiências Contra o Racismo”. A abertura do evento será hoje à noite, às 18 horas, com o “Bate Papo das Pretas”, no Museu Eugênio Texeira Leal, no Pelourinho.

Amanhã, durante todo o dia, serão realizados debates sobre questões raciais e de gênero. Entre as convidadas, estão a professora Joilda Nery (ISC/UFBA), que vai discutir sobre “As doenças negligenciadas e da pobreza têm cor”; e a enfermeira Emanuele Góes, doutora em Saúde Pública pelo ISC/UFBA, que vai falar sobre “Justiça Reprodutiva e Mulheres Negras”.

Os debates começam a partir das 8 horas, no auditório da sede do Ministério Público da Bahia (MPBA), no bairro de Nazaré. As inscrições são feitas no local e estão sujeitas à lotação do espaço.

Giro de Profissões: Mulher Negra

No sábado (27), a partir das 9 horas, a Associação Emília Machado, localizada na Rua Vicente Celestino, no bairro de Marechal Rondon, realiza o “Giro de Profissões” com a participação das professoras e pesquisadoras Déborah Santos (ISC/UFBA) e Iza neves (IHAC/UFBA), que vão falar sobre experiências profissionais e a presença da mulher negra no espaço universitário.

O evento será apresentado por Emília Machado, presidente da associação, e uma das homenageadas com o prêmio Maria Felipa 2019, promovido pela Câmara Municipal de Vereadores de Salvador. A premiação é dedicada às mulheres negras que exercem funções de destaque na luta contra o preconceito e em prol da autoafirmação. O evento é gratuito e aberto à comunidade.