Seminário de Pesquisa discute “Mudanças Climáticas e Saúde Coletiva”, no auditório do ISC/UFBA

Rodas de conversa para discutir expectativas e experiências. Debate sobre mudanças climáticas e o impacto sobre a saúde coletiva. A Semana de Abertura do Ano Letivo do Instituto de Saúde Coletiva ofereceu uma programação especial para os estudantes do primeiro semestre de 2020. As atividades tiveram início na última segunda-feira (3), no auditório do ISC/UFBA.

Na mesa de abertura do evento, os estudantes receberam as primeiras informações sobre o funcionamento do Instituto e também foram apresentados ao Plano Diretor, um instrumento gerencial que pauta as principais ações e formas de organização do ISC.

Mesa de Abertura – Da esquerda para a direita, professora Catharina Matos, professora Liliana Santos, professor Federico Costa, professora Isabela Cardoso e professor Marcelo Castellanos

“Nosso desejo é que os alunos façam do ISC uma trajetória que reúna não só o cumprimento das obrigações acadêmicas, mas que eles possam aproveitar o que de melhor a gente tem a oferecer: a qualidade da formação”, destacou a professora Isabela Cardoso, diretora do Instituto. Ela também chamou a atenção para o diálogo aberto com os estudantes e a garantia da representatividade do corpo discente através da participação nos órgãos colegiados.

Durante a semana, os estudantes também puderam realizar visitas aos programas integrados de pesquisa, ensino e cooperação técnica. O modelo adotado pelo Instituto envolve docentes, pesquisadores, alunos de pós-graduação e graduação, além de parcerias com diversas instituições externas, a exemplo das secretarias de saúde. “O nosso desejo é que os alunos possam se incorporar aos projetos, aos movimentos, às atividades de extensão e à cooperação técnica oferecidos por esses programas”, avaliou a diretora.

 

Troca de experiências

Para a nova mestranda Vanessa Rocha, ingressar no Instituto de Saúde Coletiva era um sonho cultivado desde 2017, quando concluiu o curso de Psicologia na UFBA. “Desde a minha graduação, percebi que os professores que eu mais admirava tinham feito pós-graduação no ISC. Essa referência foi fundamental para minha escolha”, revela.

Segundo a estudante, a semana trouxe a oportunidade de conhecer melhor o programa de ensino através do contato com os alunos mais antigos. “Foi muito tranquilizador ouvir aqueles que estão aqui há mais tempo”, afirma.

Estudantes e professores discutem expectativas e experiências em rodas de conversa na Casa ELSA

Neste ano, o ISC elaborou uma programação de acolhimento que privilegiou os momentos de diálogo e interação entre os próprios estudantes. “O objetivo foi reforçar a importância da interlocução e do convívio entre os alunos que estão ingressando e aqueles veteranos, pois nós entendemos que a formação em saúde coletiva envolve a escuta atenta e a disponibilidade de abertura para aprimorar as nossas habilidades, nossas competências e, principalmente, para consolidar experiências”, explica o professor Marcelo Castellanos, coordenador de pós-graduação do ISC/UFBA.

Depois de ter a dissertação defendida e aprovada há menos de uma semana, a estudante Fabiana Palma já retorna ao ISC agora como estudante de doutorado. Apesar de já conhecer bastante sobre o programa de pós-graduação, não abriu mão de compartilhar com os novos colegas as experiências e, claro, as novas expectativas que traz na bagagem. Para ela, o encontro também é um momento oportuno para discutir sobre o cenário político e os desafios para áreas como saúde e educação.

“É hora de discutir questões como o corte de bolsas, a redução da verba da educação e de que maneira isso nos impacta enquanto estudantes de universidade pública. Como vamos enfrentar tudo isso ao longo da nossa formação? Precisamos nos organizar coletivamente para enfrentar esse cenário”, observou.

Aula de “Introdução ao uso de ferramentas de pesquisa bibliográfica em ambientes virtuais”, no Laboratório de Informática do ISC/UFBA

A programação também incluiu aulas de informática com orientações sobre o uso de ferramentas de pesquisa bibliográfica em ambientes virtuais, ministradas pela professora Martha Martinez, no Laboratório de Informática do ISC/UFBA. Os estudantes também realizaram visitação à Biblioteca Universitária de Saúde (BUS) para conhecer de perto as publicações disponíveis e formas de acesso ao acervo.

 

Mudanças climáticas e saúde coletiva

Com o objetivo de ampliar o olhar dos estudantes sobre questões atuais e urgentes, o ISC trouxe o tema “Mudanças climáticas e saúde coletiva” para o centro do debate. O assunto foi pauta do primeiro Seminário de Pesquisa do semestre, realizado na última sexta-feira (6), no auditório do Instituto.

A sessão, promovida pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, teve como convidado Carlos Roberto Franke, professor de Bioclimatologia e Preservação Ambiental da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA. Durante a apresentação, ele discutiu as principais consequências das mudanças climáticas para o planeta o papel da ação humana nesse processo.

Carlos Roberto Franke, professor da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA

Para a plateia, formada majoritariamente por estudantes, Franke chamou a atenção para a influência das fake news e o enfraquecimento da consciência crítica sobre as principais questões que envolvem as mudanças climáticas. “Se vocês quiserem saber a verdade, vão ter que buscar conhecimento”, destacou.

Ele também apontou os maiores problemas de saúde decorrentes do desequilíbrio ambiental e o impacto sobre as populações mais vulneráveis. “O risco das pessoas mais pobres se infectarem é muito maior em relação àqueles que vivem nos bairros mais urbanizados. São ambientes expostos às enchentes, à presença de mosquitos e à reprodução de diversos vetores de bactérias e vírus”. A saída, segundo o professor, está no investimento da educação, no reflorestamento, na mudança da matriz energética dos países e em novos modelos de governança. “O desafio é grande e o tempo é curto”, concluiu.

E você acompanhar, na integra, a apresentação do professor Carlos Roberto Franke, além do debate com a plateia, assistindo ao vídeo abaixo.