Com informações da Rádio Nacional

A Secretaria de Saúde da Bahia confirmou, nesta sexta-feira (6), o primeiro caso importado do coronavírus no estado. Uma mulher de 34 anos, moradora da cidade de Feira de Santana, retornou da Itália em 25 de fevereiro, com passagens por Milão e Roma.

De acordo com o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, trata-se de um caso importado, pois a paciente se contaminou na Europa, mas os sintomas só se manifestaram no Brasil. A paciente está em casa e com a orientação de permanecer em isolamento. A Bahia tem ainda 23 casos suspeitos da doença.

O Ministério da Saúde confirmou nessa quinta-feira os primeiros casos de transmissão local do coronavírus. O ministro da saúde, Henrique Mandetta, afirmou que a chamada transmissão comunitária deve ocorrer se o vírus se comportar da mesma forma que em outros países.

Isso porque existe mais de uma forma de contaminação, a daquelas pessoas que viajaram ao exterior; a de quem teve contato com quem viajou ao exterior, chamada de transmissão local, e aquela entre pessoas que não viajaram ao exterior, a chamada transmissão comunitária ou sustentada. A transmissão comunitária ainda não foi identificada no país.

Segundo o ministro Mandetta, é preciso esperar para observar como o vírus vai se comportar em um país de clima tropical.

Mandetta esteve com Jair Bolsonaro nesta sexta-feira para atualizar o presidente da situação. Com esse novo caso na Bahia, já são 9 casos confirmados no Brasil, com dois casos de pessoas que contraíram o vírus sem viajar ao exterior, mas tiveram contato com quem viajou para fora do país. Dos nove confirmados, seis são em São Paulo; um no Rio de Janeiro, um no Espírito Santo e um na Bahia. Existem ainda outros 636 casos suspeitos.

Além disso, há um caso confirmado no Distrito Federal, mas o ministério da saúde ainda aguarda a chamada contraprova para contabilizar mais este caso, já que a confirmação foi feita por um laboratório particular.

No mundo, já são mais de 93 mil casos confirmados em 76 países.