Foto: Lucas Moitinho/ASCOM UFBA

A abertura do evento que marcou as comemorações pelos 25 anos do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da UFBA, na sexta-feira (04/10), no Salão Nobre da Reitoria, foi dedicada à cerimônia de outorga do título de Professor Emérito ao acadêmico Maurício Barreto, um dos principais articuladores no processo de criação do Instituto.

Médico e docente da UFBA há 35 anos, Maurício Barreto é professor permanente do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva do ISC/UFBA e coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia).

A produção científica do professor pode ser traduzida em mais de 500 publicações, entre livros e artigos em periódicos nacionais e internacionais. Como autor, é citado em, aproximadamente, 23.600 trabalhos científicos. Uma trajetória narrada pela professora Glória Teixeira, que apresentou os principais trabalhos desenvolvidos pelo pesquisador, como o uso da vitamina A para evitar formas severas de diarreia em crianças e o estudo que apontou para a ineficiência da segunda dose da vacina BCG. “Maurício é um dos artífices do crescimento da epidemiologia brasileira”, pontuou.

A carreira de Barreto é também compartilhada com a esposa Estela Aquino, professora do ISC/UFBA, que dedicou um discurso em homenagem ao companheiro de vida pessoal e acadêmica. “Esse título não consagra apenas uma carreira de dedicação à ciência, ao ensino e à formação de novas gerações, mas a pessoa que ele é, a sua luta permanente e atual por direitos e por justiça social”.

Nos agradecimentos, o agora professor emérito Maurício Barreto lembrou a atuação no processo de criação do Instituto de Saúde Coletiva e o amadurecimento do próprio projeto acadêmico e do programa de pesquisas dentro do ISC. “Foi no Instituto que entendi o sentido de universidade, ambiente onde é possível moldar, dar sentido e articular a busca com a transmissão de novos conhecimentos”.

Além do reitor João Carlos Salles, a mesa da cerimônia de outorga foi composta pela diretora do ISC, Isabela Cardoso, a professora do ISC Glória Teixeira, o ex-reitor da UFBA e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Naomar de Almeida Filho, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

Durante a sessão, a diretora Isabela Cardoso destacou a contribuição de Barreto como líder de pesquisa, na militância pela defesa da Reforma Sanitária e do Sistema Único de Saúde (SUS). “Como epidemiologista, professor e grande pesquisador, ele contribuiu de forma excepcional para que alcançássemos o nível de excelência que conquistamos”.